Sal: o mocinho e o vilão dos alimentos

A ingestão controlada é essencial para o bom funcionamento da glândula tireóide, porém seu uso em excesso pode causar hipertensão

Mariane de Oliveira

Consumo moderado é a saída pra quem deseja uma vida saudável (Foto: João Marcelo Faxina)

Ele sempre desempenhou um papel importante na conservação dos alimentos, no controle da quantidade de água no organismo e na prevenção do bócio (conhecido popularmente como papo), através da adição de iodo à sua fórmula. Porém, quando usado indevidamente, como costumam milhares de brasileiros, torna-se um risco para a saúde.

O excesso de sal é um dos fatores que mais desestabiliza o bom funcionamento do corpo humano por estar diretamento ligado à hipertensão, mais conhecida por pressão alta. Ela acontece quando a pressão arterial está igual ou maior que 14 por 9, retendo líquido e aumentando o volume do sangue nas veias e artérias. Às vezes é possível ter uma alteração na pressão por motivos banais, como nervosismo ou atividade física desgastante. São considerados hipertensos apenas os que mantém essa pressão constante.

Segundo o enfermeiro Angelo L. de Oliveira, no tratamento da hipertensão geralmente é utilizada uma combinação de dois ou mais remédios.  Ele alerta que é uma doença que não tem cura, mas que os níveis de pressão podem ser controlados seguindo orientações simples, como não exceder 6g de sal diárias, não fumar, ingerir álcool com moderação, praticar atividades físicas e ter uma dieta balanceada, evitando alimentos industrializados e gorduras.

Não é impossível manter uma vida saudável e se manter longe da hipertensão, que leva ao entupimento de artérias, ao infarto e a acidentes vasculares cerebrais (AVCs). Por ser uma doença que não apresenta sintomas, o Ministério da Saúde estima que hoje 30% da população possui a doença e não se trata.

Apesar dos riscos ocasionados pelo excesso de sal, é impossível imaginar qualquer refeição sem ele. É importante seguir as indicações de quantidade e usar com moderação para que ele não se torne inimigo da nossa saúde.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s