A importância de seguir o calendário de vacinas

A imunização, em todas as idades, é o caminho mais eficaz para prevenir diversas doenças

Mariane de Oliveira

Manter o cartão de vacinas atualizado garante uma imunização eficaz (Foto: Shana R. Nazário)

As vacinas são produtos biológicos, produzidas geralmente por agentes patogênicos (vírus e bactérias) ou toxinas, previamente enfraquecidos. Podem ser aplicadas por meio de injeção ou por via oral (pela boca). Quando somos imunizados, nosso organismo desenvolve anticorpos que destróem o microorganismo da doença e obtém a memória imunológica. Os anticorpos permanecem em nosso organismo por muito tempo, evitando que a doença se desenvolva no futuro.

A imunização começa a se fazer presente em nossa vida quando ainda estamos em formação, na barriga de nossa mãe, e a partir daí ela nos acompanha por toda a vida. De acordo com o enfermeiro Angelo de Oliveira, durante a gestação a mulher deve consultar um médico ginecologista e seguir o calendário de vacinas recomendado e, se necessário, realizar as três doses da vacina dT (dupla adulto contra difteria e tétano) com intervalo de dois meses entre cada uma. A terceira dose deve ser aplicada duas semanas antes do parto para maior segurança do bebê.

Campanha de vacinação infantil (Foto: divulgação)

Após o nascimento, é aplicada a vacina BCG, de preferência no braço direito da criança. Essa vacina previne a tuberculose, doença grave que atinge principalmente os pulmões e que, se não tratada, pode provocar sérios problemas respiratórios e até levar à morte. A dose de reforço deve ser tomada de 6 a 10 anos. Além da BCG, é necessário aplicar nas crianças outras vacinas muito importantes, como poliomielite ou paralisia infantil (VOP), sarampo, rubéola e caxumba (Tríplice Viral – SRC), difteria, tétano, coqueluche e meningite (Vacina Tetravalente), e vacinas contra hepatite B e febre amarela.

Homens e mulheres também devem tomar a Dupla Viral (SR) para sarampo e rubéola até os 39 e 49 anos, respectivamente, pois o risco de contrair a doença após essa idade é muito pequeno. Além dessas, é preciso vacinar-se contra a Dupla Adulto (dT) para difteria, tétano e febre amarela, as quais protegem o organismo por dez anos.

Imunizar idosos contra a gripe (Influenza) é muito importante, pois evita a incidência de complicações respiratórias que podem gerar outras doenças como a pneumonia. Devem se vacinar pessoas com mais de 60 anos, uma vez por ano durante a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso contra a gripe sazonal, que acontece de abril a maio, todos os anos. É importante lembrar que a vacina contra a gripe sazonal não protege contra H1N1, por isso o idoso precisa tomar as duas vacinas.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s